Movimentos

Euna Britto de Oliveira

Estendo minhas mãos para o alto,
Estou mais baixa, sem salto,
E as luvas de Deus neste dia são azuis.
Ele retira Suas luvas e segura minhas mãos frias e vazias com o morno de suas mãos!
Meu coração descansa de toda e qualquer ansiedade.
A voz que fala é a d´Ele?
Deleto vozes e opções contrárias.
Quem está livre sou eu e a borboleta amarela que sobrevoa o meu sim,
Limpo de enganos!...
Há um campo de batalha.
Nele, digladiam a luz e a escuridão.
O mais profundo poço, alguém escala com a orientação do Instrutor:
Sobe em seu perdão!
Perdão é escada segura, pura;
Redime e cura!...

Não sei o que há de ser.
Ninguém sabe, mas há quem pense e até tenha certeza de que sabe.

Sobe, minha voz, e dá Graças a Deus
Pelos minutos-séculos e pelos séculos-minutos que vivenciaste,
Enquanto flores balançavam, cada uma em sua haste!...
Já passei por tantas pontes,
Já cruzei tantos caminhos,
Já desconstruí tantos muros,
Já fiz mil e um carinhos!...
Tive tantos livramentos, que nem sei!...
(Naquelas travessias do rio de águas barrentas e revoltas, sem colete salva-vidas, no barco em que nunca afundei!...)
De toda situação de perigo, fui cuidadosa e amorosamente preservada, para estar aqui neste momento!
Nada é por acaso,
Não deve ter sido em vão!
A vida, pré-concebida, provém, move-se...
E volta para Deus,
Sem nunca ter saído das mãos d´Ele!

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Belo Horizonte, 02/10/2013

Ilustração:
Lagoa do Paraíso - Jericoacoara- Ceará

Envie este Poema

De: Nome: E-mail:
Para: Nome: E-mail:
Sinceros agradecimentos pela preservação da Autoria.