PALAVRAS DE ADRIANA

Adriana

Somos fortes a ponto de fazermos qualquer coisa pelo outo, quando gostamos;
mas inteis vagabundos quando pensamos em ns.
O futuro comea quando passamos a querer algo melhor, ou algo que nos excita.
Buscamos coisas to inteis, que acabamos por deixar o tempo vago de futilidades.
No separamos o sentimento de razo
simplesmente por no conseguirmos controlar.
Ser bom para o outro fcil, s pecisamos fazer o que ele quer.
Ser amigo para o outro saber ouv-lo e dizer somente o que ele quer ouvir.
Se fosse forte, talvez lutasse um pouco mais.
Se fugisse do mundo, talvez me encontrasse.
Se conseguisse correr desse momento,
quem sabe eu chegasse ao ponto que espero.
Se eu chorasse, talvez pudesse esquecer.
Se tentasse, talvez conseguisse.

Pobres egoistas so aqueles que lembram do seu passado
e riem do seu presente, observam e discriminam;
do seu futuro, no esperam.
Se temos que ser perfeitos, no sei,
mas para os outros temos que tentar.
Pobre iluso, se jogar no momento do outro como se fosse seu.
No fim, o seu sentimento valeu; o dele, no.
Ironia do destino, talvez, o que importa tentarmos acreditar
que tudo est sendo vivdo pela primeira vez.
Quero muito,
quero tudo,
acho que quero demais,
pos s o querer no ajuda, s deprime por no ter...

Colaboradora de Fortaleza - Cear

Envie este Poema

De: Nome: E-mail:
Para: Nome: E-mail:
Sinceros agradecimentos pela preservao da Autoria.